A MEDIAÇÃO NA ÁREA ESPORTIVA

/, Todos/A MEDIAÇÃO NA ÁREA ESPORTIVA

Assim como em qualquer assunto ou tema que possamos discorrer, também na área esportiva cabe a mediação.

E, com certeza, ela é muito bem vinda nessa área também, isso porque ajuda a manter o bom relacionamento entre os envolvidos, tanto patrocinadores com patrocinados ou entre os próprios atletas e assim em todas as questões que podem envolver a relação esportiva.

Dessa forma, podemos elencar alguns aspectos relevantes e que demostrarão que sua utilização só pode acrescentar maior sucesso ao fim das demandas.


 1) Manutenção de Relacionamentos

A maior vantagem da mediação frente as controvérsias que poderem ocorrer  consiste no poder de manutenção do relacionamento entre as partes, sem que uma polêmica coloque fim a um relacionamento duradouro.

Destaque-se que o esporte é um nicho que envolve muitas relações pessoais, como relacionamentos entre atleta-patrocinador, clube-atleta, atleta-agente, dirigente de clube-atleta, entre outros.

É importante prezar pela conservação de vínculos, de modo a não fragilizar relações por conta de desgastes que podem chegar ao encerramento dos contratos propriamente ditos.

2) Confidencialidade

Considerando, ainda, o caráter confidencial e sigiloso que reveste o ato da mediação, as partes envolvidas podem conversar de modo mais tranquilo, com a certeza de que o que lá se discutiu, lá ficará.

Uma das grandes preocupações do esportista, de qualquer ramo esportivo, é o seu “nome” em sí, que agrega valor ao seu passe, inclusive, e quando esse esportista pode tratar suas demandas com a certeza que ninguém usará tal tem para fazer sensacionalismo ou denegrir sua imagem, que nesse caso assemelha-se a uma marca, inclusive, já traz o clima necessário para o sucesso da mediação.

Com isso, poderão discutir suas controvérsias com transparência e liberdade, sem que tais informações sejam utilizadas de maneira prejudicial.

Com o auxílio de um mediador e a garantia de confidencialidade, as partes tendem a discutir opções criativas para a solução de conflitos sem tantos entraves, permitindo-se que a discussão flua e um consenso seja atingido.

Além de tudo, por força da confidencialidade, o que for tratado na mediação nunca poderá ser utilizado em procedimentos judiciais ou arbitrais; é, realmente, uma procedimento autônomo e sigiloso, não sendo transportado a qualquer documento caso não haja sucesso do procedimento.

A partir do sucesso da mediação e só aí é que pode ser colocado a termo para nascer um documento que compromissará as partes nos termos tratados.

3) Custos e Tempo

Como se pode imaginar, os custos com um procedimento de mediação passam a ser reduzidos frente às custas processuais de procedimentos judiciais ou arbitrais, afora os próprios honorários advocatícios.

Embora, seja de muita valia a presença de um advogado em qualquer que seja a relação que envolva direitos e deveres, vez que esse é o profissional apto a analisar a viabilidade e legalidade do eventual acordo.

Conclusão:

De todo o exposto, conclui-se que a “MEDIAÇÃO” atende impecavelmente às demandas da área esportiva, também, como a preservação de relacionamentos, algo decisivo em um mercado tão restrito a poucos e que movimentam milhões em transferências de diversos jogadores a cada ano, dando voz, assim, ao próprio interessado também, com a observação de que mesmo em um procedimento de mediação é aconselhável estar acompanhado de um advogado.

Marcia Raicher

2017-04-17T18:18:40+00:00

Compartilhe